Silvio Santos

No mundo de Silvio Santos, encontramos uma grande variedade de aspectos e singularidades que merecem ser explorados e compreendidos. Desde as suas origens até à sua relevância hoje, Silvio Santos tem sido objeto de interesse e estudo de especialistas e investigadores. A diversidade de opiniões e abordagens sobre Silvio Santos convida-nos a refletir sobre o seu impacto nas diferentes esferas da sociedade. Ao longo da história, Silvio Santos gerou debates, polêmicas e até inspiração, deixando sua marca na cultura, na ciência, na política e em outras áreas. Neste artigo nos aprofundaremos no fascinante universo de Silvio Santos, investigando suas múltiplas facetas e significado no mundo contemporâneo.

Silvio Santos
Silvio Santos
Silvio Santos em 2019
Nome completo Senor Abravanel
Nascimento 12 de dezembro de 1930 (93 anos)
Rio de Janeiro, DF
Residência São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Fortuna Baixa R$ 1,70 bilhão (2021)
Parentesco Alexandre Pato (genro)
Fábio Faria (genro)
Tiago Abravanel (neto)
Cônjuge
Filho(a)(s)
Ocupação
Prêmios Lista completa
Filiação PFL (1988–1989)
PMB (1989)
PST (1990–1992)
PFL (1992–?)
Religião judaísmo
Assinatura
Sílvio Santos Abravanel e sua Assinatura
Página oficial
sbt.com.br/silviosantos

Senor Abravanel (em hebraico: סניור אברבנאל; Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 1930), conhecido pelo seu nome artístico Silvio Santos, é um apresentador de televisão e empresário brasileiro. Ativo na televisão desde 1960, expandiu seus negócios e construiu um grupo empresarial que leva seu nome. Também teve atividades na música e na política.

Nasceu no bairro da Lapa, na região central da cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil e sede do então Distrito Federal. É filho primogênito de um casal de imigrantes judeus sefarditas vindo em 1924 para o Brasil, Alberto Abravanel (1897–1976), nascido em Tessalônica, e Rebeca Caro (1907 – 1989), nascida em Esmirna, cidades que à época eram parte do extinto Império Otomano.

Estreou na televisão no início da década de 1960 apresentando o Vamos Brincar de Forca, exibido pela TV Paulista, que posteriormente tornou-se o Programa Silvio Santos, agrupamento de vários programas de auditório e quadros. A atração transformou Silvio Santos em um dos grandes ícones da televisão brasileira.

É proprietário do Grupo Silvio Santos, conglomerado que inclui entre suas empresas o Sistema Brasileiro de Televisão (popularmente conhecido pela sigla SBT), uma das maiores redes de TV do país, a Liderança Capitalização (administradora do título Tele Sena), a Jequiti e a TV Alphaville. Seu patrimônio líquido foi estimado em 1,3 bilhão de dólares em 2013, sendo a única celebridade brasileira na lista de bilionários da revista Forbes. Em 2001, Silvio Santos foi homenageado pela escola de samba carioca Tradição.

Biografia

Início de vida e família

Senor Abravanel nasceu em 12 de dezembro de 1930, na Travessa Bemtevi, no bairro da Lapa, na região central da cidade do Rio de Janeiro, então capital do Brasil e sede do então Distrito Federal.

Filho primogênito de um casal de imigrantes vindo em 1924 para o Brasil: Alberto Abravanel (1897–1976), um imigrante judeu sefardita nascido na cidade de Tessalônica (hoje parte da Grécia), e Rebecca Caro (1907—1989) também judia de origem sefardita nascida na cidade de Esmirna (hoje parte da Turquia). Ambos os pais eram súditos do Império Otomano. Silvio possui outros cinco irmãos: Beatriz (a mais velha), Perla, Sara (Sarita), Leon (Léo) e Henrique (o mais novo). Seus pais estão sepultados no Cemitério Comunal Israelita do Caju, Rio de Janeiro.

A mãe de Senor é quem o chamava de "Silvio". O sobrenome artístico surgiu quando Senor foi participar do programa de calouros comandado pelo apresentador Jorge Curi e o produtor Mário Ramos.

Educação e serviço no Exército Brasileiro

Senor e o irmão Léo frequentaram, juntos, a Escola Primária Celestino da Silva, na rua do Lavradio, perto de onde moravam (nessa época haviam mudado para a rua Gomes Freire). Terminado o primário, estudaram na Escola Técnica de Comércio Amaro Cavalcanti, no Largo do Machado, onde Senor se formou em técnico em contabilidade. O primeiro tipo de produto que começou a comercializar foi capa para título de eleitor (o Brasil entrava numa fase de redemocratização após a ditadura do Estado Novo). Sua voz começou a chamar a atenção, e ele foi chamado para fazer um teste na Rádio Guanabara. Passou em primeiro lugar, mas logo preferiu voltar a trabalhar como camelô porque faturava mais.

Em 1948, serviu o Exército Brasileiro na Escola de Paraquedistas, no bairro de Deodoro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde se destacou com saltos considerados bons.

Início como comunicador

Silvio Santos (à direita) com a equipe da Rádio Nacional de São Paulo

Enquanto seguia no Exército, Silvio Santos voltou para o rádio. Como não atuava como paraquedista aos domingos, passou a trabalhar na Rádio Mauá nesse dia da semana, acompanhando o programa de Silveira Lima. Depois, transferiu-se para a Rádio Tupi. Nessa época, chegou a fazer algumas figurações para a TV Tupi. Também trabalhou na Rádio Continental, de Niterói.

Por trabalhar em Niterói, Silvio era usuário do serviço de barcas do Rio de Janeiro. Ao perceber que podia colocar um sistema de música para animar as viagens, preferiu apostar nesse novo tipo de serviço e pediu demissão da Continental. Conseguiu a aparelhagem e criou um serviço que trazia música e propagandas. O sucesso foi tanto que as barcas passaram a ter um bar e um bingo, onde o consumidor comprava um refrigerante e ganhava uma cartela para concorrer a prêmios como jarras e quadros.

Com o êxito no sistema de barcas, Silvio passou a ser o principal cliente da Antarctica na venda de refrigerantes e cervejas. Logo, passou a ser amigo de um dos diretores da empresa. Quando a barca ficou em reparos, Silvio foi convidado a ir para São Paulo. Conseguiu uma vaga na Rádio Nacional de São Paulo e continuou a carreira de empresário, criando uma revista chamada Brincadeiras para Você. Criou também uma caravana para se apresentar aos sábados e domingos em circos e clubes ao lado de outros artistas, que acabou ganhando o nome de "Caravana do Peru que Fala" por causa do apelido dado pelo amigo Manuel de Nóbrega, que fazia brincadeiras com Silvio em seu programa no rádio, deixando-o vermelho. Em 1958, Silvio participou de alguns "teledramas" na TV Paulista.

Começo do Baú da Felicidade

Silvio Santos em 1959

Em 1958, Manuel de Nóbrega administrava junto com um alemão o Baú da Felicidade, que vendia brinquedos a prazo. O radialista contribuía com anúncios na Rádio Nacional, enquanto que o sócio tocava a empresa. Entretanto, ele passou a ter dificuldades com a companhia, que não conseguia entregar os tais baús de brinquedos. Manuel havia sido traído pelo sócio alemão, que ficou com o dinheiro.

Silvio acabou assumindo a empresa, atendendo a um pedido de Manuel e se tornou sócio. Ao conhecer a sede, descobriu que o Baú da Felicidade funcionava numa espécie de "porão" na rua Libero Badaró. Silvio pediu ao alemão para que fosse embora, pois tinha ordens para comandar a empresa. Então, ele pediu para que Manuel de Nóbrega continuasse a fazer os anúncios na Rádio Nacional.

O negócio passou a crescer sob o comando de Silvio Santos, que mudou a sede da empresa, além de conseguir uma parceria com a Estrela na fabricação de 40 mil bonecas. Manuel de Nóbrega deixou a empresa sem jamais ter conhecido a sede (ele mesmo não se considerava um homem de negócios), fazendo com que Silvio assumisse o controle total da companhia. O Baú passou a ser base dos programas que Silvio viria a apresentar na televisão. Dessa forma, Silvio manteve o sistema de crediário, mas criou lojas em que as pessoas poderiam trocar os carnês quitados por brinquedos ou eletrodomésticos.

Começo e expansão na televisão

Silvio Santos à frente do Vamos Brincar de Forca, da TV Paulista, em 1960

Silvio ganhou a chance de estrelar seu próprio programa de televisão, adaptando o formato dos shows, espetáculos e sorteios que fazia no circo. Seu primeiro programa, Vamos Brincar de Forca, estreou em 1960 e era transmitido pela TV Paulista canal 5 de São Paulo à noite, tendo obtido um imenso sucesso. Ficou poucos meses nessa faixa de horário, pois a TV Paulista desejava uma programação de variedades nas tardes de domingo, já que a emissora só iniciava a programação por volta das 15h30. Já em 1963, foi lançado o Programa Silvio Santos, sua principal marca.

Outras de suas marcas conhecidas também começaram a ser veiculadas nessa época: em dezembro de 1962, entrou no ar o Pra Ganhar É Só Rodar; em 1965, já existia o Festival da Casa Própria, este na TV Tupi.

Na Tupi, apresentava programas às quartas-feiras, incluindo atrações como Festa dos Sinos, Cidade contra Cidade e Silvio Santos Diferente, que foi transferido para a Record em 1976, ficando no ar de março a setembro, quando Silvio parou temporariamente de fazer programas à noite.

Em 1966, a TV Paulista se transformou na TV Globo São Paulo, e Silvio assinou um contrato de cinco anos com os novos proprietários. Atingiu a liderança de audiência ao vencer o programa Jovem Guarda, de Roberto Carlos, na Record.

Na medida em que aumentava o sucesso do Programa Silvio Santos, Silvio tinha ótimos resultados financeiros. Realizava sorteios de carros, móveis e eletrodomésticos, o que motivou a expansão dos negócios através da loja de móveis Tamakavy e a concessionária de veículos Vimave.

Silvio Santos no programa infantil "Revelações" da TV-Rio, 1964
Quase tudo o que sei sobre o público, aprendi com um domador de circo. O público é como um leão, se você tiver medo, ele te devora!
— Silvio Santos, em entrevista para reportagem da Revista Veja, em 1969.

Em 1969, a Globo passou a exibir o Programa Silvio Santos em rede para o Rio de Janeiro, naquela altura líder absoluto de audiência. Antes, Silvio já havia feito uma experiência na televisão carioca pela TV Rio, em 1964, à frente do Revelações Kibon.

O Programa Silvio Santos começou a apresentar, em 1971, o Troféu Imprensa, premiação criada pelo jornalista Plácido Manaia Nunes. Em 1974, inaugurou a Studios Silvio Santos Cinema e Televisão Ltda, que passou a ser a base da produção de seus programas, além da produção de comerciais de TV e coberturas jornalísticas. A empresa funcionava na sede da antiga TV Excelsior.

Fundação da TVS Rio de Janeiro

Tony Tornado e Silvio Santos nos anos 1970

No início dos anos 1970, Boni e Walter Clark, diretores da TV Globo, promoveram reformas no padrão de qualidade da emissora, investindo em filmes, esporte, jornalismo e novelas, e acabando com os programas independentes. Para os executivos, o programa de Silvio Santos destoava da grade de programação.

O apresentador quase saiu da emissora em 1972, mas o próprio Roberto Marinho o convenceu a ficar, renovando o contrato por mais quatro anos. Silvio buscava uma concessão de televisão, mas o contrato com a Globo o impedia de ser sócio de uma outra emissora de TV. Até que Dermerval Gonçalves, empresário e amigo próximo de Silvio, procurou o também empresário Joaquim Cintra Godinho, para que pudesse emprestar o nome na compra das ações da TV Record até que Silvio encerrasse o vínculo com a Globo. O negócio foi feito, e Cintra Godinho manteve esse segredo até o último instante. Tudo isso foi necessário para que Silvio não ficasse fora do ar em São Paulo.

A primeira etapa para conseguir um canal próprio de televisão seria no Rio de Janeiro, após a abertura de concorrência pelo canal 11. A intenção de Silvio em ter o canal recebeu o apoio de artistas do Brasil inteiro. Até mesmo Carlos Imperial, então crítico de seus programas, manifestou apoio a Silvio Santos.

Silvio Santos, Euclides Quandt de Oliveira (então Ministro da Comunicação) e Manuel de Nóbrega durante reunião em 1975, ano em que o apresentador foi autorizado a ter televisão própria

Foi no dia 22 de dezembro de 1975, que o presidente Ernesto Geisel e o ministro Quandt de Oliveira assinaram o decreto 76.488, outorgando a frequência para Silvio Santos. A oficialização da concessão aconteceu em Brasília, com a presença de Silvio e de Manuel de Nóbrega, que relembraram o início da amizade em São Paulo. Silvio pretendia que Manuel fosse diretor-superintendente do novo canal, mas o amigo estava em tratamento de um câncer e faleceu no dia 17 de março de 1976 sem ver a estação ser inaugurada.

O primeiro desafio de Silvio Santos era colocar o canal no ar em pouco tempo. Silvio comprou equipamentos nos Estados Unidos, mas viu nos jornais que haveria um leilão da massa falida da TV Continental. Estando interessado na torre, Silvio arrematou o equipamento. A mídia da época informou que o apresentador havia arrematando sucata, mas foi descoberto que os equipamentos da Continental já eram aptos para transmitir a cores. Assim, em 14 de maio de 1976, foi inaugurada a TVS Rio de Janeiro. A programação da emissora era composta por séries e filmes. A partir do dia 1º de agosto de 1976, uma semana depois de deixar a Globo, o Programa Silvio Santos passou a ser exibido na TVS. O ano de 1976 também foi marcado pela formalização da compra de 50% das ações da TV Record. Assim, o Programa Silvio Santos era transmitido pela Rede Tupi, TVS e Record.

Em 1977, Silvio Santos entrou no mercado das telenovelas, quando seu estúdio produziu a novela O Espantalho, sendo exibido na TVS e na Record.

Formação do SBT

Silvio prosseguiu na Rede Tupi, embora já houvesse rumores de que a emissora poderia ser fechada. Em seu último contrato, válido a partir do dia 1º de fevereiro de 1980, havia uma cláusula que permitia a Silvio migrar para outra rede, sem pagar multa, em caso de excepcional importância. E o fechamento total da Tupi aconteceu no dia 16 de julho de 1980. As emissoras que até então exibiam a Tupi, acabaram migrando para a TVS. Enquanto isso, o governo federal abriu licitação para os canais cassados da Tupi e as emissoras que estavam desativadas - o canal 9 de São Paulo, da Excelsior, e o canal 9 do Rio, da Continental. Começou uma batalha política para que Silvio pudesse ser o concessionário dos canais desativados - entre os concorrentes estavam empresas como a Rádio Jornal do Brasil, Grupo Abril, o Grupo Bloch e a rede de rádios do empresário Paulo Abreu. Silvio pediu para o IBOPE fazer uma pesquisa para perguntar aos brasileiros sobre quais grupos o governo deveria entregar as concessões de televisão. Os resultados que colocavam o apresentador como grande favorito do público foram publicados nos jornais no dia 26 de outubro de 1980.

Silvio Santos (esquerda) junto ao então presidente João Figueiredo e sua filha Silvia Abravanel, nos anos 1980.

Em 1981, através de um lobby com a primeira-dama Dulce Figueiredo, com quem tinha longas conversas por telefone, Silvio Santos foi um dos vencedores da concorrência pública do governo federal. A outra empresa vencedora foi o Grupo Bloch, que formou a Rede Manchete. O Sindicato dos Radialistas de São Paulo reclamou do resultado da licitação. A entidade afirmou que Silvio estava mais preocupado em vender carnês do Baú da Felicidade e lembrou da situação da emissora do Rio de Janeiro, que exibia "enlatados". Silvio foi o vitorioso pelo canal 4 de São Paulo, a antiga Tupi. O objetivo seguinte foi colocar a nova emissora no ar rapidamente. Foram reaproveitados os ex-funcionários do antigo canal paulistano. A transmissão foi feita a partir da torre da Record com transmissores importados da RCA norte-americana. Outra opção seria alugar os equipamentos da Tupi, mas Silvio temia em ser considerado o sucessor e herdeiro das dívidas da emissora cassada.

No dia 19 de agosto de 1981, às 9h30, entrava no ar a TVS São Paulo que, junto com a TVS Rio de Janeiro, formavam as duas primeiras emissoras do Sistema Brasileiro de Televisão. A primeira transmissão foi justamente a assinatura do contrato de concessão, que teve a presença do ministro das Comunicações, Haroldo Correa de Matos. Depois, foram exibidos os programas O Povo na TV e Bozo, com desenhos como Tom & Jerry, Pica-Pau e Pernalonga. Em seguida, entraram no ar os outros canais outorgados a Silvio Santos. Em 26 de agosto de 1981, entrava no ar a TVS Porto Alegre; e o sinal de Belém chegou no dia 2 de setembro. Silvio também tinha a outorga do canal 9 do Rio de Janeiro, que foi cedido para Paulinho Machado de Carvalho para a transmissão da TV Record do Rio de Janeiro. Posteriormente, se transformaria na TV Corcovado, que acabou vendida a José Carlos Martinez para formar a Rede CNT, sediada em Curitiba.

Guerra pela audiência

A popularidade de Silvio Santos fez o novato SBT crescer em audiência e incomodar a líder Rede Globo, inclusive fazendo estratégias nada convencionais para garantir a liderança de público. Em 1987, a emissora adquiriu os direitos da minissérie Pássaros Feridos. Para poder chamar o público para acompanhar a série , Silvio fez o seguinte anúncio em seu programa:

Logo depois da novela da Globo, vocês poderão assistir a um filme sensacional. Não precisa deixar de assistir à novela. Vejam a novela e depois vejam o filme.
— Silvio Santos, em agosto de 1985

 

A novela em questão era Roque Santeiro, sucesso absoluto de audiência na Globo. A estratégia deu certo: sem a concorrência da novela, Pássaros Feridos obteve 47 pontos de audiência na Grande São Paulo, contra 27 da Globo. A vitória fez a emissora carioca fazer algo impensável: mexer na grade de programação conhecida pela pontualidade. A Globo esticou a exibição do Jornal Nacional e de Roque Santeiro, que terminou às 21h55, em vez das 21h20. O SBT exibiu episódios do desenho A Pantera Cor de Rosa até que a Globo encerrasse a exibição da novela. Dessa forma, Silvio manteve a promessa em exibir a minissérie somente após o término da novela da Globo e voltou a vencer a emissora carioca na audiência.

Entre 1987 e 1988, a programação do SBT foi marcada pelas novas contratações. Chegaram nomes como Hebe Camargo e Carlos Alberto de Nóbrega (filho de Manuel da Nóbrega e que se reconciliara com Silvio Santos após uma década). O departamento de jornalismo foi reforçado e houve a contratação de Jô Soares, vindo da Globo. Para anunciar a chegada do humorista, Silvio interrompeu a exibição do telejornal Noticentro para anunciar "uma reviravolta na televisão brasileira", conforme suas palavras. Jô Soares passou a ser o principal salário da emissora (e o maior da televisão brasileira) e o grande rosto para atrair os anunciantes.

Outro reforço na programação foi com o pacote de filmes. O SBT anunciou a exibição do filme Rambo: Programado para Matar para o dia 17 de agosto de 1988, mas a Globo contra-atacou e marcou a exibição de Rambo II para o mesmo dia. O resultado foi que o SBT transferiu a exibição de seu filme para a semana seguinte.

O SBT programou a exibição de Rambo para o dia 26 de agosto. A Globo exibiu um capítulo duplo da novela Vale Tudo, enquanto que a resposta de Silvio Santos foi deixar o SBT com a tela congelada e a mensagem "Não se preocupe, quando terminar a novela da Globo, você vai ver Rambo". A situação permaneceu por 50 minutos, mas deu certo: o SBT venceu a Globo na audiência.

Problema nas cordas vocais

Em 1988, Silvio passou por um momento delicado na carreira. O apresentador passou quatro semanas de tratamento médico nos Estados Unidos por causa de um problema nas cordas vocais. Também foi examinado um tumor que tinha na pálpebra, que era benigno. Silvio viajou para Boston e acabou ficando fora do ar nesse período.

Silvio percebeu que precisava de alguém que o sucedesse como apresentador. Por causa disso, trouxe Gugu Liberato de volta ao SBT, já que o apresentador - sucesso no Viva a Noite - havia sido contratado pela Globo. Fez uma proposta considerada irrecusável ao apresentador e depois foi ao Rio de Janeiro conversar com Roberto Marinho, dono da emissora concorrente. A partir daquele ano, Silvio passou a dividir com Gugu a apresentação do Programa Silvio Santos, apresentando segmentos como TV Animal, Passa ou Repassa e Corrida Maluca. O maior sucesso dominical de Gugu foi o Domingo Legal, que permaneceu sob seu comando até 2009, ano em que o apresentador saiu do SBT.

O dia 21 de fevereiro de 1988 ficou marcado pelo retorno de Silvio Santos à tela em uma edição especial do Show de Calouros. O apresentador ficou três horas no ar, ao vivo, e respondeu perguntas do público e dos jurados, desmentindo boatos de que estaria com câncer ou com Aids. Silvio ainda recebeu a homenagem de Hebe Camargo, que lhe entregou o Troféu Imprensa de melhor apresentador de 1986. A apresentadora não conseguiu conter as lágrimas durante a homenagem.

Anos 1990: Tele Sena, Topa Tudo por Dinheiro, Teleton e Show do Milhão

A partir de 1991, Silvio Santos estreou um de seus maiores sucessos: o Topa Tudo por Dinheiro. O programa consistia em brincadeiras com auditório e as câmeras escondidas, onde os atores do programa gravam brincadeiras insólitas com transeuntes. A atração atingiu rapidamente a liderança na audiência, mas chegou a sofrer investigação do Banco Central, pois Silvio jogava notas de dinheiro dobradas como aviões ao público. A acusação de danificação não chegou a ir para a frente.

Outro sucesso veio no mesmo ano, que foi o sorteio da Tele Sena, através da Liderança Capitalização, uma das empresas do Grupo Silvio Santos. O título de capitalização foi um grande sucesso, gerando grandes filas nas agências dos Correios. Em 1993, a modalidade rendia 40 milhões de dólares ao ano para Silvio.

Silvio Santos deu início em 1998 o Teleton, sendo criado junto com Hebe Camargo. Anualmente, o SBT passou a reservar um dia de sua grade para arrecadar doações para a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), sendo inspirado em uma iniciativa do comediante Jerry Lewis. O programa recebe atrações musicais e tem a participação de vários artistas, inclusive de emissoras concorrentes.

Em 1999, Silvio Santos estreou Show do Milhão, outro sucesso de audiência. O programa de perguntas e respostas era exibido na faixa da noite e chegou à liderança de público. O auge veio em 2002, quando a Nestlé foi a principal patrocinadora ao investir cerca de R$ 60 milhões em publicidade. O programa voltaria em 2003 e em 2009, mas sem o mesmo êxito.

Enredo de escola de samba

Silvio Santos em desfile da escola de samba Tradição no Carnaval do Rio de Janeiro de 2001

Em 2001, Silvio Santos foi enredo da escola de samba Tradição no carnaval do Rio de Janeiro. A agremiação tentava havia cinco anos que o apresentador aceitasse o convite para desfilar no Sambódromo da Marquês de Sapucaí. O enredo ganhou o título Hoje é domingo, é alegria. Vamos sorrir e cantar.

O samba da Tradição para aquele carnaval tornou-se um sucesso, sendo tocado nos intervalos da programação do SBT. O Cordão da Bola Preta colocou a música para ser tocada em seu desfile. O SBT chegou a negociar com a Globo (detentora dos direitos de transmissão) a exibição do desfile, mas não obteve êxito.

No dia do desfile, Silvio acabou sendo o grande personagem das passagens das escolas de samba. O apresentador foi ovacionado pelo no público, no desfile considerado o melhor daquele dia - um domingo de carnaval. A Tradição acabou ficando em oitavo lugar, mas a escola levou os prêmios de melhor samba-enredo, melhor enredo e melhor personagem do carnaval pelo jornal O Dia. Além disso, a pesquisa Ibope-Globo feita no Sambódromo deixou a escola em terceiro lugar.

Sequestro

Em 21 de agosto de 2001, a filha de Silvio Santos, Patrícia Abravanel, foi sequestrada na porta da própria casa, no Jardim Morumbi, em São Paulo. Depois de alguns dias de negociação, o resgate foi pago e Patrícia foi libertada. O sequestrador Fernando Dutra Pinto acabou sendo perseguido pela polícia e matou a tiros dois policiais. Sem ter para onde ir, acabou invadindo a casa de Silvio Santos no dia 30 de agosto, sendo que o apresentador estava na sala de ginástica fazendo exercícios no momento, facilitando o trabalho do sequestrador de manter Silvio e toda sua família como reféns. Silvio convenceu o sequestrador a libertar rapidamente as outras pessoas da família e seguiu em cativeiro em sua própria casa durante sete horas. Fernando só se entregou com a chegada do governador Geraldo Alckmin, que garantiu a integridade do criminoso. Alguns meses depois de preso, no dia 2 de janeiro de 2002, Fernando morreu em consequência de uma infecção generalizada causada por um corte profundo nas costas. Há indícios de que a morte do detento tenha sido causada por maus tratos e negligência médica.

Casa dos Artistas

Em 2001, Silvio Santos ingressou no mercado de reality shows. No dia 28 de outubro daquele ano, entrava no ar a Casa dos Artistas, o primeiro programa de confinamento da história da televisão brasileira. A produção aconteceu de maneira sigilosa, sendo que apenas Silvio e poucos executivos da emissora sabiam sobre a estreia do programa.

Inicialmente, Silvio negociava os direitos do Big Brother, que acabaram indo para a Globo. Silvio estreou por conta própria a Casa dos Artistas, colocando doze personalidades confinadas em uma casa: Bárbara Paz, Supla, Mari Alexandre, Patrícia Coelho, Alexandre Frota, Mateus Carrieri, Taiguara Nazareth, Nana Gouvêa, Núbia Óliver, Marco Mastronelli, Leandro Lehart e Alessandra Scatena, que assinaram um contrato de confidencialidade para que a ideia da atração não vazasse. O público só ficou sabendo do programa no dia da estreia, e a curiosidade rendeu uma vitória do SBT em cima do Fantástico, da Globo. Como a Globo era dona do formato do Big Brother, a emissora chegou a entrar com uma liminar na Justiça, fazendo com que o SBT interrompesse a exibição do programa. O SBT reverteu a decisão e continuou a exibir a atração.

A vitória da primeira edição ficou com Bárbara Paz, até então uma atriz pouco conhecida que foi escalada às pressas após Suzana Alves desistir de entrar no programa faltando três dias para a estreia. O programa rendeu 46 pontos de média em audiência, feito até hoje histórico para o SBT. A Casa dos Artistas ainda teve mais duas edições, mas sem o mesmo êxito.

Entrevista à Contigo! em 2003

Em julho de 2003, enquanto estava em férias na cidade de Orlando, Flórida, Silvio Santos concedeu uma entrevista à revista Contigo!, revelando que tinha uma doença terminal e que restavam-lhe apenas seis anos de vida. Por isso, Silvio havia vendido o SBT para um consórcio formado por Boni e pela rede mexicana Televisa. Alguns dias mais tarde, Silvio desmentiu suas declarações nos programas Boa Noite, Brasil, apresentado por Gilberto Barros na Rede Bandeirantes, e no Domingo Legal. Disse que respondeu à entrevista em tom de brincadeira diante da insistência do repórter, e que acreditava que a revista notaria sua intenção. No entanto, Contigo! decidiu publicar a matéria transcrevendo ipsis litteris as declarações de Silvio Santos, ao mesmo tempo que punha em dúvida as declarações do entrevistado. Silvio dizia, por exemplo, que estava se locomovendo em cadeira de rodas. A revista mostrou fotos do período que mostram o empresário andando normalmente.

Retorno do Programa Silvio Santos

Silvio Santos em janeiro de 2018

Ao longo dos anos 2000, Silvio Santos foi se afastando da programação dominical. Entretanto, ao perceber que sua imagem vende mais do que qualquer um dos apresentadores do SBT, retomou a marca Programa Silvio Santos em junho de 2008, com três horas de atrações. A nova fase de seu tradicional programa passou a abrigar quadros já conhecidos, inclusive o retorno do bordão "Quem quer dinheiro?", imortalizado no Topa Tudo por Dinheiro. O programa contou com gincanas e as câmeras escondidas.

O novo Programa Silvio Santos também ganhou as participações de Maisa Silva, então com seis anos, que ficou conhecidas pelas respostas diretas às perguntas de Silvio.

No dia 30 de novembro de 2011, foi anunciado que Silvio perdeu em última instância o direito de reproduzir "Silvio Santos Vem Aí", jingle que marcou sua carreira na televisão, que só poderia ser reproduzido caso Silvio comprasse os direitos do mesmo, sendo que desde 2001 Silvio já travava um processo contra o compositor musical Archimedes Messina, disputando os direitos autorais. Silvio teve de pagar 5 milhões de reais a Messina como indenização. Como já estava na última instância, não houve possibilidade de recurso. Isso fez com que em 2012, Silvio Santos abrisse seu programa recorrendo outros temas de sua trajetória, como a do Show de Calouros, É Hora de Brincar e Shalon. No dia 10 de março de 2013, Silvio Santos voltou a cantar o tradicional tema musical de abertura.

Em novembro de 2019, no quadro "Perguntas para o Auditório" de seu programa, Silvio Santos perguntou ao público: "Como se chama o pai de Adolf Hitler?" Como a plateia não soube responder, Silvio Santos instiga: "Como se chama o pai do Adolf Hitler? Ninguém sabe? Ninguém sabe? Adolf Hitler? Heil, Hitler. Heil, Hitler." A saudação feita significa "Salve, Hitler". Em seguida, Silvio Santos entrega 50 reais para uma mulher que respondeu que o pai de Hitler "é o capeta. Acho que é o capeta, é o demônio". O presidente da Federação Israelita do Estado de São Paulo chamou de "uma brincadeira totalmente inapropriada e é um tema com o qual não se brinca".

Em 8 de março de 2022, Silvio Santos e o SBT foram condenados pela Justiça paulista a pagar uma indenização de 50 mil reais a uma menina que, em 2016, participou do quadro "Levanta-te", no Programa Silvio Santos, uma competição onde crianças de 6 a 10 anos de idade cantavam com suas mães. Ao entregar um prêmio no valor de mil reais, Silvio Santos perguntou à garota: "O que você acha melhor, sexo, poder ou dinheiro?". No processo, a mãe da menina classificou o ocorrido como um "vexame". O apresentador e a emissora ainda podem recorrer. O Programa Silvio Santos também realiza o "Miss Infantil", concurso de beleza com crianças que, em 2019, apresentou meninas desfilando em trajes de banho: "Agora, vocês do auditório, que estão com o aparelhinho , vão ver quem tem as pernas mais bonitas, o colo mais bonito, o rosto mais bonito e o conjunto mais bonito", disse Silvio ao apresentar as garotas. O quadro virou alvo de inquéritos do Ministério Público do Trabalho em São Paulo e da Promotoria de Justiça de Osasco.

Crise do Banco PanAmericano

Em 2010, o Grupo Silvio Santos parou nas manchetes porque o depois que o Banco Central identificou um rombo nas contas do Banco PanAmericano. O conglomerado recebeu um aporte de R$ 2,5 bilhões, com recursos obtidos junto ao Fundo Garantidor de Créditos (FGC), tendo os bens do grupo como garantia. Já a Folha de S. Paulo informou que o rombo no banco e na empresa de cartão de crédito do conglomerado passou dos R$ 2,5 bilhões. A instituição só não quebrou porque o próprio Grupo Silvio Santos se comprometeu em assumir a responsabilidade pelo problema.

A Polícia Federal instaurou um inquérito policial para apurar a eventual prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional. Em 2011, Silvio Santos anunciou que vendeu o Banco PanAmericano para o BTG Pactual. Com a venda, o Grupo Silvio Santos deixou de ter dívidas com o Fundo Garantidor, afastando a possibilidade de venda do SBT e de outras empresas do grupo.

Em 2018, sete ex-executivos do banco foram condenados por fraude contábil.

Afastamento da televisão

Silvio Santos em 2020

A pandemia de Covid-19 fez Silvio Santos ficar afastado das gravações de seu programa. Em dezembro de 2020, comemorou o seu aniversário de 90 anos em casa, ao lado da família. Em julho de 2021, retomou as gravações do Programa Silvio Santos, mas voltou a ficar longe dos estúdios após ser internado por Covid-19.

Desde então, Silvio preferiu ficar afastado da televisão, embora não tenha anunciado oficialmente sua aposentadoria. Em abril de 2023, Daniela Beyruti, filha de Silvio, assumiu a vice-presidência do SBT, ganhando mais poder na gestão da emissora.

Vida pessoal

Família

Ver artigo principal: Família Abravanel

Silvio é descendente direto, na linhagem paterna, de Isaac Abravanel, um estadista judeu português, filósofo, comentador da Bíblia e financista. O nome Senor vem de seu avô Señor Abram Abravanel, morto em 1933.

Relacionamentos

Silvio Santos ao lado de Íris Abravanel.

O apresentador foi praticamente obrigado a manter discrição sobre sua vida pessoal durante os primeiros anos de carreira na televisão. Isso porque, na década de 1960, não era interessante que um artista revelasse que era casado, sob o risco de perder o encanto dos fãs. Quando era perguntado se tinha uma mulher ou não, Silvio respondia brincando: "Minhas oito esposas? Vão bem, obrigado".

Nessa época, Silvio já era casado com Maria Aparecida Vieira Abravanel, ou Cidinha. Eles se conheceram na época que o apresentador trabalhava na Rádio Nacional e se casaram no dia 15 de março de 1962. A identidade de Cidinha veio ao público em 1970. Ela era descrita como uma pessoa "reservada", mas de "personalidade marcante" e que não se incomodava com o fato de ficar atrás das câmeras. Com Cidinha, Silvio teve sua primeira primeira filha, Cíntia, além de adotar Silvia. Sua primeira esposa morreu no dia 22 de abril de 1977, vítima de um câncer.

Seu segundo casamento foi com Íris Pássaro. Os dois eram amigos desde 1975, quando se conheceram no Guarujá. O casamento foi oficializado em 1981, na propriedade do apresentador. O casal teve quatro filhas: Daniela, Patrícia, Rebeca e Renata. Na década de 1990, Silvio e Íris passaram por uma crise no relacionamento. Íris afirmava que o marido tinha muito ciúme, atrapalhando a relação. O casal chegou a se separar em 1992, mas os dois reataram o relacionamento.

Atividades paralelas

Silvio Santos foi radialista da sua mocidade até a década de 1980, abandonando paulatinamente essa carreira em função da profissão de apresentador.

Discografia

Durante muitos anos, Silvio Santos gravou marchinhas carnavalescas. Fez sucesso destacável com Coração Corintiano, cuja letra fazia referência à cirurgia de transplante de coração, técnica introduzida no Brasil pelo pioneiro Dr. Zerbini. Outra marchinha que fez sucesso foi "A Pipa do Vovô", alardeando a impotência sexual masculina. Tais marchinhas passaram a ser reprisadas ao longo dos anos, no SBT, durante o Carnaval. Ao longo da carreira, Silvio Santos gravou 135 músicas, espalhadas por 4 álbuns (Silvio Santos e Suas Colegas de Trabalho, Show de Alegria, 15 Anos de Sucessos Carnavalescos e Silvio Santos).

Na década de 1970, atuou também como locutor, narrando em discos as histórias infantis criada por Ely Barbosa e intitulada Silvio Santos para as Crianças. Os discos foram relançados em CD, obtendo notável sucesso. Em 2005, firmou parceira com a empresa americana Walt Disney, onde passou a narrar também as histórias infantis desta empresa ("O príncipe e o mendigo", "O Rei Leão", "101 dálmatas", "A Bela e a Fera", entre outros).

Grupo Silvio Santos

Ver artigo principal: Grupo Silvio Santos
Logo do Grupo Silvio Santos.

O Grupo Silvio Santos, formado por 34 empresas, completou, em 2008, 50 anos de atuação, acumulando cerca de onze mil funcionários e incluindo, entre as mais conhecidas, a Liderança Capitalização (que opera a Tele Sena), o Hotel Jequitimar, a Jequiti Cosméticos, e empreendimentos agropecuários e imobiliários como a Sisan. Em 8 de novembro de 2010, o Grupo Silvio Santos entrou em crise financeira por conta do rombo ocorrido no Banco PanAmericano, também pertencente ao grupo. O prejuízo dado pelo banco somou uma quantia próxima a R$ 2,5 bilhões, o que provocou a necessidade de empréstimo junto ao Fundo Garantidor de Crédito para recuperar o banco. Em razão desse empréstimo, o Grupo Silvio Santos colocou como garantia para pagamento do empréstimo algumas empresas do grupo, incluindo o SBT, a Jequiti Cosméticos e o Baú da Felicidade, agravando a crise em que a emissora entrou a partir de 2007, quando perdeu a vice-liderança para a Rede Record. O prazo para pagamento desse empréstimo seria de 10 anos. Em 1 de fevereiro de 2011, Silvio Santos anunciou a venda do Banco PanAmericano ao BTG Pactual, por 450 milhões de reais. Em 13 de junho do mesmo ano, o Grupo Silvio Santos anunciou a venda da rede "Baú da Felicidade" à Magazine Luiza. A rede desembolsou 83 milhões de reais pelo Baú, em uma operação envolvendo 121 lojas em São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Além disso, a Magazine Luiza adiciona 3 milhões de clientes à sua base de cartões.

Política

Candidaturas

Silvio Santos no Palácio do Planalto, em 2010.

Em 1988, Silvio Santos propôs sua candidatura a prefeitura de São Paulo pelo Partido da Frente Liberal (PFL). Considerando seus recentes problemas de saúde, Silvio anunciou sua intenção como forma de retribuir à sociedade todas as suas conquistas como apresentador e homem de negócios. O anúncio foi feito durante um dos quadros do Programa Silvio Santos. O caso foi amplamente divulgado pela imprensa. A candidatura, contudo, não se concretizou. Em 1989, Silvio decidiu concorrer à Presidência da República, mas sem sucesso. Tentou encontrar um partido para se filiar e lançar sua candidatura e ficou com o nanico PMB (Partido Municipalista Brasileiro). Era o primeiro nas pesquisas, estava com folga na liderança. Mas no dia 9 de novembro de 1989, sua candidatura foi cassada. Eduardo Cunha, na época filiado ao PRN, entrou com o pedido no TSE para extinguir o partido e anular a candidatura de Silvio. Cunha alegava que o PMB havia realizado apenas quatro convenções, contrariando o valor estipulado pela lei na época, de nove convenções. De acordo com o TSE, Silvio Santos é filiado ao Democratas (DEM), atual União Brasil (UNIÃO).

Relações com o poder

Desde os últimos anos da ditadura militar no Brasil, quando obteve suas concessões de televisão, Silvio buscou ter boas relações com todos os presidentes brasileiros. Silvio se define como um "apolítico" e sempre buscava ficar próximo do mandatário vigente, não importando a sua origem ideológica. O apresentador dizia que era um "office boy do patrão, que, no caso, é o governo". A partir do governo João Figueiredo era exibido dentro do Programa Silvio Santos o quadro A Semana do Presidente, um curto boletim sobre os compromissos do presidente da República. O programete foi exibido até o governo Fernando Henrique Cardoso.

Em 1985, o então presidente José Sarney apoiou a instalação do SBT Brasília, contrariando o objetivo do ministro das Comunicações da época, Antônio Carlos Magalhães, em rever as concessões de televisão outorgadas a partir de 1984. Na época, a afiliada ainda estava em fase de implantação, e o presidente queria evitar o monopólio da Globo. Em 1993, Silvio Santos foi admitido pelo presidente Itamar Franco à Ordem do Mérito Militar no grau de Comendador especial.

Silvio Santos e Michel Temer em 2018

Na ocasião da inauguração do CDT Anhanguera, em 1996, o então presidente Fernando Henrique Cardoso encontrou-se com Silvio para visitar as obras do novo centro de produção do SBT. Na época em que era ministro, em 1994, FHC foi ao programa de Silvio para explicar sobre o Plano Real.

Durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva, Silvio foi até o Planalto em 2010 para falar sobre o Teleton. Em 2016, no governo Dilma Rousseff, a presidente atribuiu a Ordem do Mérito das Comunicações para Silvio. Em 2018, Michel Temer foi até o Programa Silvio Santos para falar sobre a Reforma da Previdência.

Jair Bolsonaro durante entrevista ao apresentador Silvio Santos

No governo de Jair Bolsonaro, Silvio Santos voltou a fazer a analogia de que o governo era seu "patrão". O apresentador afirmou jamais se colocaria contra qualquer decisão do meu 'patrão' que é o dono da minha concessão. Houve também um aumento da entrada de dinheiro público no SBT e outras emissoras nas quais os donos apareceram ao lado de Jair Bolsonaro. Antes do governo Bolsonaro, era gasto mais dinheiro com propaganda nas emissoras a partir da audiência das mesmas, mas o método foi cancelado sem motivo. Tal fato entrou na análise do Repórteres Sem Fronteiras, que passou a reportar os ataques de Bolsonaro direcionados à imprensa.

No dia 23 de maio de 2020, Silvio Santos cancelou a edição do jornal SBT Brasil daquele dia, que havia noticiado o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril do Governo Bolsonaro, e a substituiu por uma reprise do programa Triturando. Jair Bolsonaro foi ao Programa Silvio Santos em 2019, onde também foi abordada a Reforma da Previdência.

Imagem pública

Livros

Silvio Santos recebeu Fernando Morgado em seu programa

Em 2000, o jornalista Arlindo Silva lançou o livro A Fantástica História de Silvio Santos. A partir de recortes de jornais e entrevistas, ele traçou a biografia do apresentador, desde o início no rádio até a construção de seu conglomerado empresarial. O livro tornou-se um sucesso comercial, indo ao topo dos mais vendidos. Em 2002, uma edição atualizada foi lançada após eventos como o sequestro, a Casa dos Artistas e o carnaval de 2001.

Em 2017, o professor Fernando Morgado lançou Silvio Santos - A Trajetória do Mito. A biografia conta a trajetória de Silvio através de frases ditas pelo apresentador.

Produções audiovisuais

Rodrigo Faro interpretou o apresentador no filme Silvio Santos – O Sequestro, contando o caso acontecido em 2001. Uma foto do ator caracterizado como Silvio veio a público, e a estreia chegou a ser agendada para o dia 7 de dezembro de 2023, o que ainda não se concretizou.

Em 2022, a plataforma Star+ lançou a série O Rei da TV, contando a trajetória de Silvio Santos. Entretanto, a produção foi criticada pelas filhas do apresentador, alegando que a série fantasiou histórias como, por exemplo, uma suposta traição de Silvio a Íris Abravanel. Silvia e Cintia Abravanel disseram que o próprio pai também reprovou a série.

Falas controversas

Em novembro de 2014, durante a participação do elenco da novela infantil Chiquititas no Teleton, Silvio Santos comentou sobre o cabelo da atriz negra Julia Olliver. Ao falar que queria ser "atriz ou cantora" quando crescer, ouviu do apresentador: "Mas com esse cabelo?" Em setembro de 2016, durante o Programa Silvio Santos, o apresentador comentou que o cabelo crespo de uma menina negra da plateia "chamava muita atenção". Em novembro do mesmo ano, durante o Teleton, ao entrevistar uma dançarina negra, Silvio Santos disse: "Você é muito graciosa. Embora sendo a única negra entre as brancas, é bonita."

No início de julho de 2017, Silvio criticou a aparência da apresentadora Fernanda Lima, ao dizer: "magrela, muito magra", que "não tem amor nem sexo" e "quem gosta de osso é cachorro". Fernanda, questionada sobre o assunto no Pânico na Band, respondeu: "Silvio, por que não te calas?". Em dezembro de 2018, ao participar do Teleton, Claudia Leitte ouviu críticas de Silvio Santos ao figurino: "(...) Alguma coisa aconteceu na sua vida: ou perdeu o namorado ou perdeu o marido... Ou está a perigo mesmo (...) da maneira como você está se apresentando, dá vontade de... Sair da poltrona, tomar um chopes, umas cervejas e depois procurar algum conforto". No dia seguinte, Claudia disse: "Quando passamos por episódios desse tipo, vemos em exemplificação o que acontece com muitas mulheres todos os dias, em muitos lugares." Após o ocorrido, Silvio Santos abriu o vestido de Lívia Andrade para espiar o decote da apresentadora e ameaçou demitir bailarinas com coxas finas.

Programas apresentados

Nome Tempo apresentando Emissora Observação Refs
Vamos Brincar de Forca 1960 – 1963 TV Paulista
Programa Silvio Santos 1963 – presente Várias TV Paulista (1963–66), TV Globo (1966–76), Rede Tupi(1976–80), Record (1976–87) e SBT (desde 1981).
Troféu Imprensa 1970 – presente Várias TV Paulista (1961-1963), TV Excelsior (1961-1963), Rede Tupi (1961-1972), Rede Globo (1973-1977), TV Cultura (1973-1977), RecordTV (1981) e SBT (1982-presente)
Show de Calouros 1977 - 1996 Várias Rede Tupi (1977-1980), Rede Record (1980-1987) e

SBT (1981-1996)

Porta da Esperança 1984 - 1996 SBT
Passa ou Repassa 1987 - 1988
Topa Tudo por Dinheiro 1991 - 2001
Hot Hot Hot 1994 - 1995
Em Nome do Amor 1994 - 2000
Xaveco 1997 - 1998
Gol Show 1997
Teleton 1998 - 2018
Show do Milhão 1999 - 2003
Casa dos Artistas 2001 - 2004
Você É Mais Esperto que um Aluno da Quinta Série? 2007
Nada Além da Verdade 2008
Um Milhão na Mesa 2011

Prêmios e indicações

Ver também

Referências

  1. «Silvio Santos». SBT - Sistema Brasileiro de Televisão 
  2. Naty (26 de setembro de 2021). «Veja a lista completa dos bilionários brasileiros de 2021». Forbes Brasil. Consultado em 15 de dezembro de 2022 
  3. «Silvio Santos - Biografia». Portal São Francisco. Consultado em 13 de setembro de 2017 
  4. «Gilberto Dimenstein». www1.folha.uol.com.br 
  5. a b c d e f g Editora, On Line; Editora, Grandes Ídolos On Line (2 de agosto de 2016). Te Contei? Grandes Ídolos Edição Luxo (Silvio Santos) Ed.01 (em inglês). : On Line Editora 
  6. «Silvio Santos celebra 60 anos de carreira, mas a era dos apresentadores está chegando ao fim». F5. 8 de fevereiro de 2018 
  7. a b c «Conheça a carreira do empresário Senor Abravanel, o Sílvio Santos». Folha Online. 30 de agosto de 2001. Consultado em 30 de agosto de 2012 
  8. a b Rachel Mizrahi Bromberg (2003). Imigrantes judeus do Oriente Médio: São Paulo e Rio de Janeiro. Ateliê Editorial, p. 33. ISBN 978-85-7480-162-9.
  9. Meet TV Star Silvio Santos, Brazil's First Ever Celebrity Billionaire. Forbes. Acessado em 23 de novembro de 2019.
  10. «Silvio Santos». Forbes (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2021 
  11. «No Carnaval, Silvio Santos foi homenageado pela Tradição». UOL. Folha Online. 30 de agosto de 2001. Consultado em 12 de dezembro de 2012 
  12. a b Silva, Arlindo (2002). A fantástica história de Silvio Santos. : Editora do Brasil 
  13. Marcel Souto Maior (2006). Almanaque da TV Globo. Editora Globo. p. 25. ISBN 978-85-250-4280-4.
  14. Dimenstein, Gilberto. «O judeu Silvio Santos e o câncer». Folha de SP 
  15. a b c «De camelô a bilionário, conheça trajetória de Silvio Santos». Terra. Consultado em 19 de dezembro de 2023 
  16. «Nossa missão é formar!» (PDF). Ministério da defesa. Consultado em 30 de agosto de 2012. Arquivado do original (PDF) em 14 de março de 2012 
  17. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an SILVA, Arlindo (2002). A Fantástica História de Silvio Santos. São Paulo: Editora do Brasil. ISBN 85-10-03063-4 
  18. a b Mendonça, Newton (1958). «Ainda sem chegar na casa dos trinta, Silvio Santos já é um». Revista do Rádio (nº 453) 
  19. «Silvio Santos: o peru que fala». Revista do Rádio (Nº 570). 1960 
  20. «Rádio & TV». Correio Paulistano. 25 de julho de 1960 
  21. «Rádio & TV - Estreias de domingo». Correio Paulistano. 31 de maio de 1963 
  22. «Hoje é dia de estreia: "Pra ganhar é só rodar"». Correio Paulistano. 27 de dezembro de 1962 
  23. «Silvio Santos: Baú da Felicidade». A Tribuna. 23 de janeiro de 1965 
  24. «Folha Online - Colunas - Ooops! - Silvio Santos faz auditoria em empresas e deve vender a Vimave - 28/02/2001». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 18 de julho de 2021 
  25. «Revista Cobertura Mercado de Seguros - Grupo Silvio Santos lança shopping de veículos multimarcas». wwwold.revistacobertura.com.br. Consultado em 18 de julho de 2021 
  26. Acervo digital da Revista Veja - todas as edições desde 1968
  27. «Silvio Santos vem aí». Tribuna da Imprensa. 18 de outubro de 1969 
  28. «Chuva de gente». Correio da Manhã. 3 de fevereiro de 1964 
  29. Mauricio Stycer (14 de dezembro de 2020). UOL, ed. «Silvio e Boni já "se estranharam" várias vezes em 50 anos de TV». Consultado em 19 de maio de 2023 
  30. a b c d CASTRO, THELL DE (8 de maio de 2016). «Há 40 anos, Silvio Santos colocava no ar sua primeira emissora de televisão». Notícias da TV. Consultado em 23 de dezembro de 2023 
  31. «Canal 11 é outuorgado a S. Santos». Jornal do Brasil. 23 de dezembro de 1975 
  32. «Falecimentos». Jornal do Brasil. 18 de março de 1976 
  33. DUTRA, Maria Helena (17 de março de 1977). «A roda quase morta das telenovelas». Jornal do Brasil 
  34. «Fim de semana esportivo na TV». Jornal do Brasil 
  35. «Nove empresas apresentam propostas na licitação das duas novas redes de tevê». Jornal do Brasil. 30 de setembro de 1980 
  36. «Sílvio sobre Figueiredo: "Se não fosse ele, eu tava vendendo caneta na Sé"». UOL. 27 de agosto de 2017. Consultado em 1 de abril de 2020 
  37. a b «Governo concede TVs aos grupos Bloch e Silvio Santos». Jornal do Brasil. 20 de março de 1981 
  38. «Silvio Santos anuncia em nota que vai contratar pessoal da Tupi». Jornal do Brasil. 21 de março de 1981 
  39. «Bloch e Silvio Santos assinam contrato e TVS entra no ar em São Paulo». Jornal do Brasil. 20 de agosto de 1981 
  40. Minissérie do SBT, Pássaros Feridos bagunçou a programação da Globo
  41. a b c d CASTRO, THELL DE (8 de fevereiro de 2015). «Minissérie do SBT, Pássaros Feridos bagunçou a programação da Globo». Notícias da TV. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  42. a b c CASTRO, THELL DE (8 de agosto de 2014). «Em 1987, Silvio Santos interrompeu telejornal para anunciar Jô Soares». Notícias da TV. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  43. a b c d CASTRO, THELL DE (23 de junho de 2019). «Em guerra com a Globo, Silvio Santos mandou o público ver Rambo na rival em 1988». Notícias da TV. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  44. CASTRO, THELL DE (11 de julho de 2021). «Em 1988, Silvio Santos viveu seus dias de Renato Villar: 'Chorei feito criança'». Notícias da TV. Consultado em 24 de dezembro de 2023 
  45. «Na crista da onda». Jornal do Brasil. 14 de fevereiro de 1988 
  46. a b c d CASTRO, THELL DE (22 de agosto de 2016). «Em 1988, Silvio Santos barrou Gugu na Globo com proposta milionária». Notícias da TV. Consultado em 12 de janeiro de 2024 
  47. Wallacy Ferrari (9 de maio de 2021). Aventuras na História, ed. «Em 1988, Silvio Santos pediu piedade para Roberto Marinho: "o senhor não precisa mais de dinheiro"». Consultado em 19 de maio de 2023 
  48. «Programa Silvio Santos ganha novas atrações». O Pioneiro. 4 de janeiro de 1992 
  49. «O Fluminense - TV». O Fluminense. 30 de junho de 1991 
  50. a b CASTRO, THELL DE (9 de dezembro de 2018). «Ostentação de Silvio Santos entrou na mira do Banco Central; saiba por quê». Notícias da TV. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  51. «Correio/Movimento». Folha de Hoje. 8 de abril de 1992 
  52. GAMA FILHO, Hélio (6 de abril de 1993). «Negócios & Cia». O Pioneiro 
  53. a b «Teleton 1998: veja como foi 1ª campanha com Silvio Santos no SBT». Estadão. Consultado em 10 de janeiro de 2024 
  54. a b c «Problemas de direitos autorais e mania nacional: A incrível história do Show do Milhão». NaTelinha. Consultado em 10 de janeiro de 2024 
  55. «A febre do milhão». Jornal do Brasil. 2 de abril de 2000 
  56. «Reverência do samba aos excluídos». Jornal do Brasil. 28 de janeiro de 2001 
  57. «Silvio Santos ficou 'muito contente' com convite para ser enredo, diz presidente – Setor 1». setor1.band.uol.com.br. Consultado em 10 de janeiro de 2024 
  58. GOULART, Anabela (5 de fevereiro de 2001). «Antena». Jornal do Brasil 
  59. «Silvio Santos faz a festa na Globo». Jornal do Brasil. 26 de fevereiro de 2001 
  60. Folha de S. Paulo, ed. (5 de abril de 2002). «Relatório aponta que Dutra Pinto morreu em consequência de tortura». Consultado em 23 de novembro de 2019 
  61. a b «Casa dos Artistas faz 20 anos: conheça bastidores e a história do programa». F5. 12 de outubro de 2021. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  62. a b c d e f g «Há 20 anos, Silvio Santos furava Globo e lançava o fenômeno Casa dos Artistas». NaTelinha. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  63. «Folha de S.Paulo - Juiz proíbe exibição de programa do SBT - 01/11/2001». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  64. a b c d e «Declarações de Silvio à Contigo geram polêmica». Contigo. Terra. 10 de julho de 2003. Consultado em 30 de agosto de 2012 
  65. «Folha de S.Paulo - O sarro de Silvio - 13/07/2003». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  66. a b ESQUENAZI, Rose (1º de junho de 2008). «TV Pixel». Jornal do Brasil 
  67. «Folha de S.Paulo - Outro Canal - Daniel Castro: Programa Silvio Santos volta com pegadinha e aviãozinho - 25/05/2008». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  68. ESQUENAZI, Rose (17 de agosto de 2008). «TV Pixel» 
  69. «Garota prodígio». Correio Braziliense. 2 de agosto de 2008 
  70. «Silvio Santos perde o direito de tocar "Silvio Santos Vem Aí", o jingle que marcou sua carreira». Visto Livre. 30 de novembro de 2011. Consultado em 3 de dezembro de 2011 
  71. «Programa Silvio Santos - abertura com tema do Show de Calouros». YouTube. 7 de abril de 2012. Consultado em 3 de março de 2023 
  72. «Programa Silvio Santos - abertura 8/7/2012». YouTube. 8 de julho de 2012. Consultado em 3 de março de 2023 
  73. «Programa Silvio Santos - abertura 2013». YouTube. 10 de março de 2013. Consultado em 3 de março de 2023 
  74. Redação (4 de novembro de 2019). «Silvio Santos brinca com saudação nazista "Heil, Hitler" e causa revolta na web». IstoÉ. Editora Três. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  75. Saullo Brenner. «Federação Israelita critica Silvio Santos após saudação nazista». Metrópoles. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  76. Rogério Gentile (8 de março de 2022). UOL, ed. «Silvio Santos é condenado por perguntar a criança se prefere sexo ou poder». Consultado em 9 de março de 2022 
  77. a b UOL, ed. (12 de dezembro de 2019). «Silvio Santos completa 89 anos no momento mais delicado da carreira». Consultado em 14 de dezembro de 2019 
  78. a b c «'Vendi o banco', diz Silvio Santos sobre Panamericano». G1. 31 de janeiro de 2011. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  79. a b «Rombo no banco PanAmericano pode superar R$ 2,5 bilhões - 15/11/2010 - Mercado». Folha de S.Paulo. 11 de janeiro de 2024. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  80. «Silvio Santos vende PanAmericano e descarta se desfazer de outras empresas». economia.uol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  81. «Justiça condena 7 ex-executivos do banco Panamericano». G1. 8 de fevereiro de 2018. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  82. «Silvio Santos completa 90 anos de idade em isolamento». cbn.globoradio.globo.com. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  83. «Silvio Santos, de 90 anos, é internado com Covid em SP». G1. 13 de agosto de 2021. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  84. a b «Silvio Santos chega aos 93 anos recluso e longe da TV». R7.com. 12 de dezembro de 2023. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  85. A fantástica história de Silvio Santos Arquivado em 23 de dezembro de 2016, no Wayback Machine., Arlindo Silva.
  86. Helladio Holanda (2012). Silvio Santos "O Mestre". Clube de Autores. p. 9.
  87. a b c d e f BATISTA, Márcia; MEDEIROS, Anna (2017). Silvio Santos - a biografia. São Paulo: Universo dos Livros. ISBN 978-85-503-0247-8 
  88. a b c «As oito espôsas de Silvio Santos são uma só». Intervalo (Nº 380). 1970 
  89. a b «ISTOÉ Gente Online». www.terra.com.br. Consultado em 14 de março de 2012. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2014 
  90. «Silvio Santos no rádio». Caros Ouvintes. Arquivado do original em 1 de outubro de 2020 
  91. «Sílvio Santos e suas colegas de trabalho», IMMUB, consultado em 2 de fevereiro de 2024 .
  92. Show de alegria: Sílvio Santos e suas colegas de trabalho .
  93. «Sílvio Santos», IMMUB, consultado em 2 de fevereiro de 2024 .
  94. Marcus Ramone (22 de novembro de 2004), «Ely Barbosa anuncia novos projetos», Universo HQ, consultado em 2 de fevereiro de 2024 .
  95. «Silvio Santos para as Crianças – Apresenta João e Maria», Disco GS, consultado em 2 de fevereiro de 2024 .
  96. «Silvio Santos narra histórias de Walt Disney em CD», O Globo/Gazeta do Povo, 1 de setembro de 2009, consultado em 2 de fevereiro de 2024 .
  97. «Silvio Santos vende lojas do Baú da Felicidade para Magazine Luiza», Folha da manhã, UOL, 13 de junho de 2011, consultado em 2 de fevereiro de 2024 .
  98. Brasil, CPDOC-Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «SENOR ABRAVANEL». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 8 de setembro de 2020 
  99. «Eduardo Cunha impediu que Silvio Santos fosse presidente do Brasil». Caixa Zero. 28 de abril de 2016 
  100. «Há 25 anos, Silvio Santos tentou presidência; você votaria?». Terra 
  101. Facebook/Reprodução. «Programa Silvio Santos recebe Jair Bolsonaro neste domingo». HOME. Consultado em 8 de setembro de 2020 
  102. Borges, Julia Possa, Victor (19 de agosto de 2021). «Da esquerda à direita, boa relação com governos é marca de Silvio Santos». Poder360. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  103. Mira, Maria Celeste (1994). Circo eletrônico: Sílvio Santos e o SBT. : Olho D'Agua 
  104. «Programa 'Semana do Presidente' foi transmitido por mais de 20 anos». Extra Online. 13 de abril de 2011. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  105. CASTRO, THELL DE (8 de julho de 2018). «Em 1985, Sarney apoiou SBT em Brasília para acabar com monopólio da Globo». Notícias da TV. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  106. BRASIL, Decreto de 2 de agosto de 1993.
  107. a b c d e «Relembre encontros de Silvio Santos com presidentes da República». Exame. 5 de maio de 2019. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  108. Redação (19 de abril de 2020). «Silvio Santos chama Bolsonaro de "patrão" e veta críticas ao presidente». IstoÉ. Editora Três. Consultado em 24 de abril de 2020. Cópia arquivada em 24 de abril de 2020 
  109. João Filho (23 de fevereiro de 2020). «Bolsonaro se diz perseguido pela imprensa. Mas Band, SBT, Record e Rede TV estão ao seu lado.». The Intercept Brasil. First Look Media. Consultado em 26 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2020 
  110. «Como o presidente Bolsonaro tenta, metodicamente, silenciar a imprensa crítica». RSF. 16 de abril de 2020. Consultado em 24 de abril de 2020. Cópia arquivada em 24 de abril de 2020 
  111. TV, Notícias da (15 de junho de 2020). «Reprises do Triturando no fim de semana fazem a alegria da Record no Ibope». Notícias da TV. Consultado em 17 de junho de 2020 
  112. TV, Notícias da (22 de maio de 2020). «Silvio Santos se irrita com vexame, inventa reprise do Triturando e nocauteia Gentili». Notícias da TV. Consultado em 17 de junho de 2020 
  113. PODER360 (2 de maio de 2019). «Em São Paulo, Bolsonaro grava com Silvio Santos: 'maior comunicador deste país'». Poder360. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  114. «Si8lvio ganha livro contando sua história». Tribuna da Imprensa. 13 de novembro de 2000 
  115. «Os mais vendidos». Jornal do Brasil. 23 de dezembro de 2000 
  116. «Coluna do Ferreira Netto». Tribuna da Imprensa. 1º de fevereiro de 2002 
  117. «Muito antes de Dudu e Maisa: Biografia de Silvio lembra polêmicas do patrão». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  118. a b «Filme sobre Silvio Santos estrelado por Rodrigo Faro ganha data de estreia - CinePOP». 9 de fevereiro de 2023. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  119. a b «Traição e mau gosto: O que Silvio Santos e filhas acharam de 'O Rei da TV'». www.uol.com.br. Consultado em 11 de janeiro de 2024 
  120. «Silvio Santos recebe críticas nas redes sociais após comentário sobre cabelo de atriz negra de Chiquititas». 10 de novembro de 2014. Consultado em 24 de novembro de 2019 
  121. iG, ed. (5 de setembro de 2016). «Silvio Santos é acusado de racismo após fazer piada com cabelo de criança negra». Consultado em 24 de novembro de 2019 
  122. Revista Veja, ed. (7 de novembro de 2016). «Silvio Santos é acusado de racismo durante o Teleton». Consultado em 24 de novembro de 2019 
  123. «Fernanda Lima, chamada de 'magrela' por Silvio Santos, rebate: 'Deve respeito'» 
  124. «Após polêmicas com Silvio Santos, Fernanda Lima recebe apoio de atrizes da Globo» 
  125. Extra, ed. (12 de novembro de 2018). «Claudia Leitte desabafa após ouvir de Silvio Santos que ela o excitava: 'Senti-me constrangida'» 
  126. «VAMOS BRINCAR DE FORCA I». MBRTV - Museu Brasileiro de Rádio e Televisão. Consultado em 15 de junho de 2023 
  127. «Programa Silvio Santos». memoriaglobo. 29 de outubro de 2021. Consultado em 15 de junho de 2023 
  128. «"Programa Silvio Santos" completa 55 anos na história da TV». NaTelinha. Consultado em 15 de junho de 2023 
  129. «Hoje, no Municipal, entrega do "Troféu Imprensa" de 1961». Folha de S.Paulo. 3 de fevereiro de 1962. Consultado em 15 de junho de 2023 
  130. «Prêmio Troféu Imprensa». www.sbt.com.br. Consultado em 15 de junho de 2023 
  131. «Jurados inesquecíveis dos programas de calouros | Memória». VEJA SÃO PAULO. Consultado em 15 de junho de 2023 
  132. «35 programas inesquecíveis do SBT». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 15 de junho de 2023 
  133. «Porta da Esperança: relembre icônica atração que vai voltar!». OFuxico. 4 de fevereiro de 2020. Consultado em 15 de junho de 2023 
  134. De Souza Gomes, Mariana (1 de julho de 2015). «Le spectacle de la solidarité à la télévision brésilienne». Revue française des sciences de l’information et de la communication (em francês) (7). ISSN 2263-0856. doi:10.4000/rfsic.1772. Consultado em 15 de junho de 2023 
  135. Cardoso, Jorge (4 de setembro de 2021). «SBT exibe edição do Passa ou Repassa apresentada por Silvio Santos». TV Pop. Consultado em 15 de junho de 2023 
  136. Passa ou Repassa - Completo | Programa Silvio Santos (06/12/1987), consultado em 15 de junho de 2023 
  137. CASTRO, THELL DE (9 de dezembro de 2018). «Ostentação de Silvio Santos entrou na mira do Banco Central; saiba por quê». Notícias da TV. Consultado em 15 de junho de 2023 
  138. «Folha Online - Ilustrada - SBT comemora audiência de programas dominicais - 07/11/2000». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 15 de junho de 2023 
  139. «HOT HOT HOT». MBRTV - Museu Brasileiro de Rádio e Televisão. Consultado em 15 de junho de 2023 
  140. Lincolins, Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago (11 de dezembro de 2021). «'Em Nome Do Amor': Como era o 'Tinder' dos anos 1990 na TV brasileira». Aventuras na História. Consultado em 15 de junho de 2023 
  141. CASTRO, THELL DE (31 de março de 2019). «Em 1996, 'avô' do Xaveco era comandado por Silvio Santos e revelou Ellen Rocche». Notícias da TV. Consultado em 15 de junho de 2023 
  142. «Como surgiu o Gol Show? Silvio Santos comprou formato após notar alvoroço em feira de TV». NaTelinha. Consultado em 15 de junho de 2023 
  143. «Conheça a história do Teleton; campanha promovida pelo SBT desde 1998 - CidadeVerde.com». cidadeverde.com. Consultado em 15 de junho de 2023 
  144. «SBT anuncia retorno do 'Show do Milhão'». Estadão. Consultado em 15 de junho de 2023 
  145. CASTRO, THELL DE (28 de setembro de 2014). «Em 2001, SBT lança Casa dos Artistas e declara guerra à Globo». Notícias da TV. Consultado em 15 de junho de 2023 
  146. «Emissoras apostam em quadros de "game show" para os programas de domingo - 13/04/2010 -». televisao.uol.com.br. Consultado em 15 de junho de 2023 
  147. «Folha Online - Colunas - Zapping - Silvio Santos acaba com game da verdade - 10/01/2009». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 15 de junho de 2023 
  148. «Silvio Santos estreia o jogo 'Um milhão na mesa' nesta quarta no SBT». Extra Online. 21 de setembro de 2011. Consultado em 15 de junho de 2023 

Bibliografia

  • Silva, Arlindo (2000). A fantástica história de Silvio Santos. 1 1 ed. São Paulo: EDITORA DO BRASIL SP. 278 páginas. ISBN 8510028389 

Ligações externas

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre Silvio Santos:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata
Livros da Wikipédia